31/10/14 | 17:14
Curumim na Lata realiza espetáculo para comemorar 11 anos de existência

Talento e música de boa qualidade foram os destaques da festa de comemoração dos 11 anos de existência do Grupo Curumim na Lata. O projeto é desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), por meio do Centro Municipal de Artes (Cemae) Aníbal Beça. O evento aconteceu na noite desta quinta-feira, 30, no auditório do Cemae, localizado no bairro São José 3, zona Leste.

O show foi apresentado por alunos e ex-alunos que participaram do grupo desde seu surgimento. Cerca de 40 pessoas fizeram parte do musical.

O projeto tem o objetivo de preservar ou diminuir o impacto ambiental, demonstrando que é possível reaproveitar materiais recicláveis para a confecção de instrumentos musicais alternativos. O Grupo tem realizado um evento anual para marcar a passagem de aniversário do projeto. Este ano, a temática escolhida foi “Canta Brasil”, que apresentou 15 canções, conhecidas no Amazonas, como Brasileira de Lucinha Cabral e Porto de Lenha de Torrinho e Aldísio Filgueiras e até nacionais, como Aquarela do Brasil, de Ary Barroso, e Gostava Tanto de Você, de Édson Trindade.

Instrumentos alternativos feitos a partir de materiais recicláveis e convencionais como contrabaixo, flauta doce e bateria, dividindo sons agudos, graves e médios, além de solistas, compuseram a orquestra. O professor de percussão e responsável pelo projeto, Carlos Valdez, explicou como os alunos se prepararam para apresentar o tema deste ano.

“O trabalho começou quando decidimos o tema que iríamos apresentar. A partir daí, decidimos o repertório e começamos a estudar a origem das músicas como um todo. Ou seja, quem escreveu a letra, a leitura rítmica de cada canção, os instrumentos utilizados na música, as adequações viáveis que podem ser feitas, entre outros pontos”, explicou Valdez, que é formado em percussão na Venezuela e coordena o Grupo desde o início.

“Meu maior prazer é saber que este projeto já transformou centenas de alunos em músicos profissionais, pessoas realizadas profissionalmente e cidadãos mais conscientes sobre o meio ambiente”, acrescentou.

O aluno Vinicius da Silva, 12, que tocou lata no show, expressou a sua emoção por participar grupo. “Participo deste grupo desde 2013. A cada dia me sinto mais realizado por estar nele. Além da musicalidade, aprendi aqui que devemos preservar o meio ambiente, reaproveitando o lixo para coisas viáveis e úteis”.

Trajetória

O projeto de percussão começou no ano de 2003. Em seus 11 anos de história vem apresentando um repertório variado para empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM), escolas e em eventos da Semed. Além disso, o Curumim na Lata percorre municípios do Estado do Amazonas, como Manaquiri, Presidente Figueiredo e Manacapuru, para apresentações. Hoje, participam mais de 40 alunos, mas no decorrer de sua trajetória já beneficiou  mais de 750 alunos da rede municipal de ensino.

A pedagoga do Cemae, Cleonice Ortiz, expressou o que o Grupo Curumim na Lata representa para o Centro de Artes. “O grupo ao longo de sua existência já ofereceu oportunidade a diversas pessoas. Formou e forma instrumentistas muito talentosos. Hoje, por exemplo, há pessoas que sobrevivem da música e tornaram a música sua profissão.  Hoje o vemos como nosso carro-chefe e cartão postal do Centro de Artes”.

Todos os alunos que participam do Curumim na Lata estudam no Centro Cultural. Os participantes estudam regulamente, pela manhã ou tarde, em escolas nas adjacências do centro e têm no mínimo dez anos de idade.

O ex-aluno do Cemae, Alan Pereira,  23, passou 5 anos no projeto. Para ele, o Curumim na Lata oferece mais que conhecimento em música. “O curumim não me ofereceu somente conhecimento relacionado a música. Ele também contribuiu para a formação do meu caráter, da minha personalidade e me fez uma pessoa melhor. O Curumim na Lata foi uma descoberta da música, de meus sonhos, de uma profissão”, contou. Hoje, o ex-aluno é musico profissional e dedica seu tempo ao talento descoberto no projeto.

TEXTO: EMERSON FELIPE