Monumentos

Monumento à Abertura dos Portos
Localizado no centro da Praça São Sebastião, em frente ao Teatro Amazonas, o Monumento foi erguido em homenagem à Abertura dos Portos e Rios da Amazônia à Navegação Estrangeira, ocorrida em 1866.
O monumento que hoje se encontra na Praça não é o original. O primeiro levantado era somente um obelisco, inaugurado em 1867, registrando a data do acontecimento histórico.
Em 1899, com a riqueza advinda da exploração da borracha, ergue-se outro monumento (o atualmente existente) mais imponente e de maior valor artístico, sob a supervisão e criação do artista italiano DOMENICO DI ANGELIS, que na época dedicava-se à decoração do salão nobre do Teatro Amazonas, então em construção. Todo material usado no monumento foi importado da Europa, especialmente da Itália.
Inaugurado em 1900, no ano da comemoração do quarto centenário do Brasil, o monumento simboliza os quatro “cantos do mundo”: Ásia, América, África e Europa, cada um é representado por uma embarcação, com um menino sentado.
No barco da África, sentado em uma cabeça que simboliza o Egito, com símbolos também egípcios, um menino segura duas presas de elefante; o barco da Europa, que exibe uma águia à proa, mostra um menino segurando um globo terrestre; o barco asiático mostra o “croissant”, símbolo dos muçulmanos, caracteres antigos gravados à proa e o menino às costas de um leão; no barco da América encontra-se agrupados elementos decorativos diversos, com um menino à proa e uma serpente enrodilhada na quilha do barco.
O monumento registra a data de XV de Novembro de 1889, em que se comemora a Proclamação da República do Brasil, ressaltando o nome de José Cardoso Ramalho Júnior, na época governador do Estado do Amazonas.
Em 1995 a praça foi integralmente recuperada pela Prefeitura de Manaus, em convênio de parceria com a empresa XEROX DO BRASIL.
A maioria das árvores que cercam a praça são Oitis (Liconia torneto) e Viuvinhas (Pétrea volubili). O piso – com desenhos sinuosos que posteriormente teriam inspirado as calçadas de Copacabana, na cidade do Rio de Janeiro – simbolizam o encontro das águas dos rios Negro e Solimões.
Aproveite a sua permanência no local para observar a parte externa do Teatro Amazonas, deslocando-se até o fundo da praça para obter fotos abrangendo a cúpula do prédio.

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Monumento a Tenreiro Aranha
Sua primeira moradia foi na “Praça Tamandaré”.
Situado na “Praça da Saudade (oficialmente se chama “Praça 5 de Setembro”, que antes se chamou “Largo da Saudade”), atualmente abrange uma quadra formada pelas ruas Ferreira Pena, Ramos Ferreira, Simão Bolívar e Epaminondas”.
A construção deste monumento foi proposta por Silvério Nery, em 11 de maio de 1883, quando o Presidente da Província era o Dr. José Lustosa da Cunha Paranaguá. No projeto inicial o monumento seria implantado na “Praça 28 de Setembro” (atual Praça da Polícia). Porém, já no governo de Eduardo Ribeiro, o mesmo deveria ser implantado na Praça 5 de Setembro, isto por volta de 1884-1885. O monumento acabou sendo implantado na Praça Tamandaré, no ano de 1907. Porém, no ano de 1932 foi transferido para a “Praça da Saudade”, na Gestão Municipal de Emmanuel Morais.

 

LOCALIZAÇÃO
°c
Manaus


DICAS
Manauscult
Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos - Manauscult
Av. André Araújo, n  2.767, Aleixo, Cep 69.060-000 Manaus/Am
Fone: (55 92) 3215-3474
site: manauscult.am.gov.br
e-mail: turismo@pmm.am.gov.br